TOP 5: Filmes Mais Safados da História do Cinema (+18)

Para quem estava morrendo de frio e não podia apelar para uma lareira ou aquecedor, pode optar por um desses filmes para se esquentar. Ainda que “safados”, todos esses são ótimos filmes, alguns clássicos do cinema, por isso, a escolha foi baseada na “Safadeza” + Qualidade. Foi difícil escolher 5, por isso mesmo, existem duas menções honrosas, essas sim, expoentes máximos do assunto.

DFKLFJ

5 – De Olhos Bem Fechados

Em quinto lugar temos o último filme de Stanley Kubrick. Tom Cruise interpreta um doutor que convive com a dúvida do adultério de sua esposa Nicole Kidman (na época casada com ele), já que a mesma disse ter sentido atração por outro homem no passado e que largaria tudo por ele. Cruise a medida do tempo redescobre novos padrões para o sexo (masculino e feminino), bem como inicia um tipo de viagem no submundo do sexo até um gran finale que é marca registrada de Kubrick. Além dos diálogos picantes, temos Kidman nua, Leelee Sobieski como ninfeta e uma orgia de tirar o folego no final. É bem soft, mas esquenta que é uma beleza.

4 – O Piano

Esse filme com toda certeza, não estaria nessa lista se não fosse por causa de suas cenas de sexo. O filme conta a história de  Ada McGrath (Holy Hunter), uma mulher que não fala desde os seis anos de idade e se muda para a Nova Zelândia recém-colonizada. Em companhia da filha (Anna Paquim), ela conhece seu futuro marido, com o qual não simpatiza. Se a situação já não estava boa, piora quando seu noivo se recusa a transportar o piano de Ada, que é sua maior paixão. É aí que entra em cena o administrador George Baines (Harvey Keitel), imediatamente interessado na mulher, ele adquire o instrumento e promete devolver o mesmo se ela o ensiná-lo. Tudo começa de forma bastante ingênua, já que Ada não fala, Baines então, se aproveita e se aproxima mais e mais até propor favores sexuais para Ada reaver seu querido bem. Começamos então com um toques corporais, para passarmos para uma nudez parcial e por fim sexo, muito sexo. E não se acanhe, pois, a nudez é masculina e feminina, portanto, satisfaz a todos os públicos. São 2 horas de um filmaço, mas que não deixa de ser bem safado. É soft, mas muito quente.

3 – Shame

Nosso terceiro lugar tem um tema que é pouco recorrente na história do cinema, o vício em sexo. Dessa maneira, acompanhamos a triste trajetória de Brandon (Michael Fassbender) e sua compulsão por sexo. O filme inova pois, atualiza um tema que sempre foi considerado um tabu, seja na sociedade, seja no cinema. Brandon, não quer só sexo, ele quer tudo que envolva sexo. Sendo assim, ele mostra que sexo pode ser obtido em qualquer lugar com muita facilidade: numa troca de olhares no metrô, num simples clique pela internet, pelo telefone celular … em quase todo lugar é possível obter algo que satisfaça seu desejo, sua compulsão. Fassbender entrega uma atuação digna de Oscar, mas que si quer recebeu uma indicada. Espere por um filme que, mesmo sendo bastante triste, não deixa de mostrar o sexo, como ele realmente é. E tem todo tipo de situação: sexo entre homem e mulher, homem com homem e mulher com mulher. Aqui a coisa já começa a pegar fogo, porquê, o tema é unica e exclusivamente sexo. Vai na fé, porque esse esquenta é muito, mas muito mesmo.

2 – O Amante

Nosso segundo lugar é uma ode ao amor, mas ao mesmo tempo, é um romance sexual intenso. A história do filme é baseada na obra de Marguerite Duras e retrata a vida de uma garota, filha de colonos franceses, interpretada por Jane March, que se envolve com um chinês rico e bem-sucedido, papel de Tony Leung Ka Fai, muito mais velho do que ela, depois que ele oferece uma carona à ela em sua limusine. A relação começa de maneira simples e muito bonita, até que se torna torna intensa, em que sexo é a única coisa que importa. O romance choca principalmente, porquê, a sociedade não aceita o relacionamento e o rompimento de dogmas. Jane March, então com seus 20 anos, mostra todo o seu corpo, sem qualquer pudor, em cenas de sexo bastante intensas com Tony Leung, que não brinca em serviço e entrega uma atuação no mínimo comovente. Esse sim, é um filme que esquenta, pois algumas cenas tem sexo explícito, mas que não fogem da proposta do filme.

1 – Império dos Sentidos

O primeiro lugar fica naquele limiar entre o pornô e o cinematográfico. O filme do brilhante diretor Nagisa Oshima, tem a história ambientada em 1936, no Japão, no qual uma ex-prostituta acaba envolvendo-se em um caso de amor obsessivo com o chefe de uma propriedade onde ela é contratada como empregada. Tatsuya Fuji interpreta o chefe da propriedade, que inicia uma série de práticas sexuais despretensiosas, com a excelente Eiko Matsuda, que os aceita e aumenta a intensidade. O que começa com uma simples troca de beijos e nudez para ambos lados, vira masturbação, penetração, sexo oral e até ejaculação. Prepare-se, pois o filme tem cenas de sexo reais, incluindo a clássica cena em que Eiko coloca um ovo em sua vagina, para que depois Tatsuya possa comer. O filme ainda conta com uma cena de ejaculação na boca da protagonista. O final é ainda mais impactante e merece um aviso especial, prepare o seu estomago. Um excelente filme, infelizmente taxado de pornô por alguns, mas que retrata o sexo e o amor, da maneira mais real possível. É praticamente impossível que você não esquente com o filme, ele praticamente pega fogo!

Menções honrosas:

Caligula

Calígula não é lá um exemplo de filme que possa ser necessariamente taxado como cinema convencional. O filme conta com um grande elenco incluindo Malcolm McDowell, Helen Mirren e Peter O’Toole, e retrata a história de Calígula, que faz uma mescla de orgia com humilhações sexuais e assim passar mensagens sobre e para a sociedade. É um filme pornô, mas que conta com um elenco de Hollywood.

Saló ou 120 Dias de Sodoma

Esse com toda certeza, não é um dos filmes mais leves que existe no mundo. Ambientado durante a Segunda Guerra Mundial, o filme choca, ao mostrar todo tipo de violência sexual, sem qualquer censura, praticado principalmente contra jovens, que são colocados nessa situação, por serem taxados como contrários ao regime de Mussolini. Não é para todos os estômagos, mas é um filme chocante, provocante e ao mesmo tempo revolucionário.

8 comentários em “TOP 5: Filmes Mais Safados da História do Cinema (+18)

    1. Ridiculoooooo. Essas. Cenas. Nossa. PDP. Mano. Vocês. Nem. Sabe. Fazer. Filme. Normal. Sem. Safadeza. Nossa. Vocês. Não. Si. Enchergam. Olha. As. Criamças. Mano….!

Comentar...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s